BLOGGERAL

sábado, 29 de agosto de 2009

Á PROCURA DE UM MUNDO ONDE HAJA SUNSHINE

As mãos tentam reter
O ar em sua superfície
Como matéria sólida.


Contudo, apesar da tenacidade do ânimo,
O sangue da atmosfera,
Pelos poros dos dedos, se liberta.


Então volto a ficar cabisbaixo:
Zarpando pelas águas
Da utopia onde se fixa
A universal felicidade retilínea,
Vislumbro a luz do sol pulverizar toda e qualquer mesquinharia.

JESSÉ BARBOSA DE OLIVEIRA

1 comentário:

Papagaio Mudo disse...

je suis oci un poéte petit

Gus